O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Quando Jean-Pierre Jeunet lançou, há 15 anos, “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain“, jamais poderia imaginar que seu destino, assim como o de sua adorável protagonista, também seria fabuloso. O êxito de Amélie transcendeu o puramente cinematográfico para converter-se no paradigma do que o gosto popular concebe como cinema francês (ou mesmo “espírito francês”), definir a imagem que, hoje, habita o imaginário coletivo sobre a capital francesa e estabelecer-se como um fenômeno, conquistando uma legião de fãs ao redor do mundo, que se identificam com sua heroína, querem fazer os outros felizes e imaginam que a trilha sonora de suas vidas é composta por Yann Tiersen.

Ame ou odeie, “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” marcou a história do cinema mundial e do cinema francês, e saber os segredos por trás da criação desta película é, no mínimo, bastante divertido. Pegue o crème brûlée e se delicie:

– O roteirista e diretor do filme, Jean-Pierre Jeunet, começou a selecionar dados, eventos e memórias para criar a história de Amélie em 1974.

– O diretor confessou que muitos detalhes do filme são de origem autobiográfica. Como, por exemplo, as coisas que os personagens gostam e não gostam. Algumas recordações que aparecem no decorrer da história também vieram da vida do diretor.

– Jeunet encontrou Audrey Tautou num pôster. Logo depois de Emily Watson desistir do papel, o diretor estava vagando pelas ruas de Paris, se perguntando como poderia salvar seu novo projeto. Foi quando virou uma esquina e viu um cartaz do filme “Instituto de Beleza Vênus” (1999). Nas palavras do próprio Jeunet: “Fui surpreendido por um par de olhos escuros, um flash de inocência, um porte incomum. Eu arranjei uma reunião e ela fez a audição para o papel. Depois de 10 segundos, eu sabia que ela era a escolha certa.”

– A atriz que fez o papel de Amélie criança é brasileira. Bem, na verdade, metade brasileira. Flora Guiet nasceu em Paris e é filha de pai francês e mãe brasileira. Com apenas com 5 anos foi escolhida depois de testes para o papel da Amélie na fase infantil. Hoje mora em São Paulo e estuda design de interiores.

– Antes de gravar as cenas externas em Paris, Jean-Pierre Jeunet e sua equipe limpavam toda a área que seria utilizada, retirando detritos, sujeira, lixo e até mesmo graffiti. Esta tarefa foi extremamente difícil quando chegou a hora de gravar na enorme estação de trem. “Nós tiramos todos os carros das ruas, limpamos o graffiti das paredes, substituímos cartazes por outros mais coloridos, etc.”, disse Jeunet. “Digamos que eu tentei exercer tanto controle quanto pude sobre a qualidade estética da cidade.” A pós-produção digital ajudou consideravelmente para que Jeunet alcançasse a visão que queria que o filme transmitisse.

– As principais cores (vermelho, verde e amarelo) foram inspiradas pelas pinturas do artista brasileiro Juarez Machado.

– Jeunet utilizou uma cafeteria verdadeira, realmente chamada “Café des Le Deux Moulins”, para ser o local de trabalho de Amélie e, também, onde se passa grande parte do filme. É claro que depois do lançamento (e do sucesso) do filme, a cafeteria se tornou uma atração turística. O lugar é decorado em estilo Art Deco e fica no endereço “15 Rue Lepic”, esquina com a Rue Cauchois, em Montmartre. O café ainda se parece bastante com o que é mostrado no filme, exceto que possui bastante pôsteres e o crème brûlée ganhou um nome especial em homenagem a Amélie.

– “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” ganhou diversos prêmios, entre eles, dois BAFTA Awards de Melhor Roteiro Original e Melhor Desenho de Produção; Prêmio da Audiência no Festival Internacional de Edimburgo; Prêmio do Público no Festival de Cinema de Toronto; Prêmio César Award de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Trilha Sonora e Melhor Cenografia;

“O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” encanta, diverte, apaixona e comove qualquer um que assista. É uma obra atemporal que foge da realidade de uma capital poluída, para apresentar o universo colorido e gentil que existe aos olhos de uma pessoa que insiste em acreditar na bondade apesar de tudo. Quantas Amélies você conhece? Seria você, uma Amélie? Por que não ser mais Amélie?

Definitivamente, uma obra cinematográfica que tem valor.